LACNIC Oportunidades

Coordenador de Projeto

I. Descrição do projeto

"Trabalho Digital e Gênero no Haiti" é uma iniciativa piloto que busca criar condições favoráveis para que jovens haitianas consigam trabalho na economia digital abordando igualmente as deficiências que apresenta o Haiti em termos de competências e infraestrutura. O projeto está direcionado principalmente às mulheres.

O projeto vai trabalhar em três áreas:

(a) Promover o crescimento de um mercado de trabalho relacionado com os dados no Haiti: Ensinar mulheres jovens competências digitais e facilitar a obtenção de trabalho à distância nos mercados estrangeiros de serviços digitais e relacionados com os dados.  Os beneficiários incluem mulheres jovens de 18 a 25 anos, com conhecimentos técnicos básicos, para ser treinadas em informática e processamento de dados. Este grupo receberá formação de nível básico a médio e ajuda para conseguir trabalhos à distância em mercados estrangeiros através do estabelecimento de uma empresa local de outsourcing que reúna pessoas formadas e uma estratégia ativa de divulgação entre a diáspora haitiana para identificar no estrangeiro, oportunidades de trabalho à distância.
(b) Fortalecer a infraestrutura da Internet e a conectividade no Haiti: Criação de capacidades entre profissionais avançados das TIC para estimular o crescimento e a melhoria dos serviços da Internet no Haiti.  Os beneficiários serão os profissionais das TIC que participam no desenvolvimento e na exploração de redes de telecomunicações no país todo, bem como profissionais das universidades e escolas técnicas.  Este grupo receberá formação de nível avançado em uma série de questões relacionadas com as TIC, entre elas gestão de redes, redes de dados sem fio, segurança do computador e implementação do IPv6.  Além dessas ações de formação, também será criado um cluster local de empresas de TIC para promover o espírito empreendedor e incentivar as sinergias e o crescimento de novas iniciativas entre os profissionais locais. 
c) Promover uma cultura direcionada aos dados no Haiti: Criação de consciência sobre a importância dos dados, não apenas como um meio de acesso a oportunidades de emprego, mas também como uma ferramenta para uma melhor tomada de decisões, transparência e prestação de contas no Haiti, em linha com a Iniciativa da América Latina pelos Dados Abertos (ILDA).

No médio prazo, o projeto irá formar um grupo de jovens profissionais com habilidades digitais que lhes permitirão obter empregos a distância nos mercados estrangeiros. Ao longo prazo e através de capacitações de nível avançado, o projeto ajudará a reforçar os recursos humanos locais necessários e irá encorajar às iniciativas locais para promover o desenvolvimento da Internet no Haiti, entendendo que um mercado mais desenvolvido de serviços digitais requererá redes da Internet mais amadurecidas. Além disso, em geral, o projeto irá contribuir para uma maior presença feminina na área das TIC, que hoje é fortemente dominada por profissionais masculinos,  e começar a promover uma cultura de dados no Haiti. Por mais informações sobre o projeto, consulte o Anexo 1.

II.    Objetivo da contratação:

O projeto descrito será gerenciado por múltiplas partes: o Registro de Endereçamento da Internet da América Latina e o Caribe (LACNIC), o Caribbean Open Institute (COI) e a École Supérieur e d'Infotronique d'Haïti (ESIH). O objetivo mais importante desta contratação é centralizar no Consultor a coordenação entre as diferentes organizações envolvidas no projeto, garantindo uma articulação fluente entre as atividades acima descritas.  O Consultor também será o responsável pela direção das atividades de divulgação que visem garantir oportunidades de trabalho para os formados do programa e recrutar novos patrocinadores para o projeto, conforme descrito abaixo.

III. Responsabilidades

Text Box: Nota: Além das atividades descritas abaixo, pode acontecer que durante a execução do projeto surjam responsabilidades adicionais. Espera-se que o Consultor tenha flexibilidade para responder aos desafios e oportunidades decorrentes desta iniciativa piloto, assumindo novas responsabilidades, conforme necessário.O Coordenador do projeto irá reportar a LACNIC. Espera-se que o Consultor trabalhe a tempo parcial durante o tempo da contratação, com uma ocupação de 30% a 50%, dependendo das demandas de cada fase do projeto.

Função de ligação
Fase de preparação

  1. Revisar o calendário do projeto com todos os sócios e realizar os ajustes necessários.  Assegurar que todos os sócios envolvidos conheçam e cumpram os prazos e o fluxo de trabalho.
  2. Conduzir o processo de contratação, com a colaboração direta de LACNIC, de consultores de pesquisa para os diferentes componentes definidos na fase de pesquisa.
  3. Conduzir, com a colaboração direta de LACNIC, o processo de contratação do especialista em monitoramento e avaliação.

Fase de pesquisa

  1. Supervisionar o trabalho e atuar como ponto de contato entre as equipes de pesquisa, apresentando os assuntos relevantes para LACNIC, conforme necessário.
  2. Revisar os rascunhos da pesquisa e dar feedback às equipes de pesquisa em conjunto com os sócios do projeto.
  3. Coordenar a distribuição dos resultados finais da pesquisa para todos os sócios do projeto para seu estudo e análise. Supervisionar as alterações posteriores ao projeto com base nos resultados da pesquisa, se corresponder.
  4. Explorar com os pesquisadores e sócios possíveis canais para publicar e divulgar os resultados da pesquisa.

Fase de produção e entrega de conteúdo

  1. Supervisionar ao sócio local ESIH para garantir o progresso de: a) o processo de recrutamento; b) a incorporação de conteúdos à plataforma de e-learning; e c) os preparativos institucionais relacionados com a inscrição e oferta de cursos.  Identificar e resolver qualquer problema relevante para o sucesso da implementação das atividades sob a responsabilidade de ESIH.
  2. Comunicar-se com os sócios responsáveis pela produção de conteúdo, LACNIC e COI, para assegurar que: a) a produção atempada dos conteúdos dos cursos a ser incorporados na plataforma de ESIH, b) a compatibilidade do conteúdo dos cursos com a plataforma de ESIH c) a coerência das atividades planejadas em termos de quantidade e duração dos cursos, número de horas, etc.
  3. Ajudar os sócios do projeto na coordenação dos módulos de formação dos instrutores (train-the-trainer) antes do lançamento dos cursos no Haiti.
  4. Organizar e participar de reuniões entre os sócios encarregados da produção de conteúdo, LACNIC e COI, e o sócio encarregado da entrega de conteúdo, ESIH.
  5. Informar LACNIC quaisquer problemas urgentes que puderem dificultar o bom desenvolvimento do projeto.

Monitoramento e avaliação

  1. Conduzir, com a colaboração direta de LACNIC, a seleção de um pesquisador com sólida experiência em monitoramento e avaliação para que forneça avaliações e feedback ao sócio do projeto com regularidade..
  2. Apresentar o assessor ou a equipe responsável da avaliação aos sócios do projeto.
  3. Facilitar o acesso aos materiais e informações necessárias para realizar as atividades de monitoramento e avaliação.
  4. Supervisionar o progresso das atividades de monitoramento e avaliação pelos consultores.
  5. Distribuir o feedback do monitoramento aos sócios para que as atividades do projeto possam ser ajustadas, conforme necessário.

Função de divulgação

  1. Realizar uma campanha ativa no exterior para envolver no projeto a líderes empresariais, profissionais da diáspora do Haiti e empresas de alta tecnologia, com forte ênfase na oferta de oportunidades de emprego para os graduados do projeto.
  2. Conduzir reuniões com possíveis patrocinadores, entre eles agências internacionais (BID, Banco Mundial, etc.) e empresas do setor privado (Google, Facebook, etc.)
  3.  Apoiar o desenvolvimento e a consolidação de uma pequena empresa ou fundação para reunir os graduados que venderão serviços no exterior.
  4. Informar os obstáculos e oportunidades identificados ao longo da campanha de divulgação a LACNIC.
  5. Coordenar um evento internacional no Haiti e o final do projeto para apresentar os resultados e atrair apoio internacional para a fase de escalamento.

Função administrativa

  1. Apresentar relatórios mensais a LACNIC resumindo o progresso das atividades e informando qualquer problema pendente e possíveis oportunidades. Realizar ligações mensais a LACNIC para informar o progresso.
  2. Compilar materiais de relatório (narrativos e financeiros) dos sócios do projeto e apresentá-los a LACNIC para a preparação dos relatórios finais para o IDRC, seguindo o cronograma de relatórios acordado com o Centro.
  3. Controlar as despesas individuais, recolhendo as faturas e apresentando um breve relatório financeiro a LACNIC para a preparação dos relatórios finais para o IDRC.

IV.Resultados e produtos

  1. Relatórios mensais de progresso para LACNIC.  Ligações mensais com LACNIC.
  2. Relatórios financeiros das despesas individuais.
  3. Como resultado direto das atividades de divulgação, espera-se que, no final do projeto, o coordenador se torne o principal colaborador para atingir os seguintes resultados e produtos.
    1. Dois possíveis patrocinadores e dez profissionais da diáspora do Haiti interessados no projeto no final do ano 1;
    2. 20 profissionais da diáspora do Haiti e líderes empresariais e 2 patrocinadores somados ao projeto no final do ano 2;
    3. 5 profissionais da diáspora do Haiti e líderes empresariais e outro patrocinador somados ao projeto no final do projeto.
    4. Oportunidades de trabalho garantidas para os graduados e que cumpram com os seguintes objetivos:
    5. 50% das mulheres do primeiro grupo de graduados com um trabalho on-line em um mercado estrangeiro no final do projeto no final do ano 2.
    6. 80% dos graduados do primeiro grupo e 50% do segundo grupo com um trabalho on-line em um mercado estrangeiro no final do projeto.
  4. Realização bem-sucedida do evento de encerramento. 

 

V. Supervisão e consultoria

O trabalho de consultor será supervisionado pelo Gerente de Desenvolvimento e Cooperação, e o Coordenador de Projetos de Desenvolvimento de LACNIC.

VI. Qualificações desejadas

  1. Bilíngue inglês e francês. Serão valorizados conhecimentos de espanhol.
  2. Diploma universitário em ciências sociais, gestão de negócios, gestão de projetos ou de outras áreas relevantes para o projeto. 
  3. Experiência relacionada com projetos de desenvolvimento ou atividades e exposição ao mundo do desenvolvimento internacional.
  4. Compreensão do movimento de dados abertos (Open Data Movement) e os desenvolvimentos de dados em massa (big data) a nível internacional.
  5. Experiência em iniciativas internacionais de desenvolvimento, e conhecimento de execução e gestão de projetos.
  6. Vínculos verificáveis com o setor privado, instituições de ensino e comunidade técnica local do Haiti.  Serão valorizados os laços com a diáspora do Haiti na América do Norte.
  7. Comunicador excelente.  Excelente relacionamento interpessoal.

 

VII. Processo de seleção

O prazo para apresentação de candidaturas para este cargo é 20 de Março de 2017.

Se quiser ser considerado para este cargo, envie o seu currículo e carta de apresentação para Carolina Caeiro, Coordenadora de Projetos de Desenvolvimento de LACNIC (carolina@lacnic.net). O assunto deve ser "Coordenador do Projeto - Seu nome". A carta de apresentação deve estar redigida em uma página e apresentar as qualificações do candidato, as contribuições que irá trazer para o projeto e as expectativas para a posição em termos de desenvolvimento pessoal e impacto sobre os beneficiários.

Os candidatos potenciais serão entrevistados por um Comitê de Seleção. Depois das entrevistas, os candidatos pré-selecionados deverão redigir um artigo breve de opinião.

A compensação será de US$ 45.000 a US$ 75.000 pelos 30 meses de duração do projeto. A compensação final estará baseada nos antecedentes e experiência do candidato.  As despesas da viagem serão independentes desta compensação.

Espera-se que o Consultor assista à reunião de início a ser realizada em Porto Príncipe (Haiti) no final de abril de 2017.

VIII. Localização

O consultor deverá estar radicado em Porto Príncipe, Haiti.
 Também serão considerados candidatos de outros lugares, entre eles outros países do Caribe, Estados Unidos ou Canadá.  O consultor deverá ter disponibilidade para viajar ao Canadá, Estados Unidos, Uruguai e/ou Haiti, confirme necessário. 


ANEXO 1

Trabalho Digital e Gênero no Haiti
LACNIC

 

Informações adicionais sobre o projeto

1. Justificação

Com quase 60% de seus 10.5 milhões de cidadãos vivendo com menos de 2 dólares por dia, de um total de 188 países, o Haiti ocupa o número 163 no Índice de Desenvolvimento Humano (PNUD).  Considerado o país menos desenvolvido da América Latina e o Caribe, o Haiti hoje ainda está se recuperando do terremoto que sofreu em 2010 e que afetou seriamente a sua infraestrutura, custou milhares de vidas e teve as suas atividades econômicas altamente danificadas.

O emprego é um fator chave para o desenvolvimento no Haiti.  Depois do terremoto, o nível de desemprego aumentou até 41% em 2010, em comparação com 35% prevista antes disso acontecer (Banco de Desenvolvimento do Caribe). O Plano de Ação para a Recuperação Nacional e o Desenvolvimento do Haiti (Plan d'actionpour le relèvement et le développementd'Haiti, o PARDH) criado depois do terremoto reconheceu a necessidade de criar trabalho a grande escala como uma prioridade para a reconstrução econômica e social.   Em maio de 2012, o Governo do Haiti apresentou seu Plano Estratégico para o Desenvolvimento do Haiti (Plan Stratégique de Développmentd'Haïti o PSDH), que buscava prover um enquadramento para a perspectiva de longo prazo em que o PARDH se baseava. O documento continuava focado na necessidade de criação de empregos, procurando melhorar a competitividade da economia do Haiti e fomentar o crescimento do setor privado.

De acordo com estimativas publicadas em 2014 pelo Banco Mundial, 4.59 milhões de haitianos fazem parte da força de trabalho; além da taxa de desemprego de 41%, o subemprego é generalizado, há uma escassez acentuada de mão de obra qualificada (CIA Factbook) e mais de dois terços da população não tem emprego formal. Em geral, as condições sociais e econômicas são terríveis tanto para homens quanto para mulheres, mas as mulheres estão particularmente em desvantagem, porque elas sofrem de maiores níveis de desemprego, níveis de escolaridade mais baixos, piores condições de vida em geral e e são mais vulneráveis à exploração ( Banco de Desenvolvimento do Caribe). A participação feminina no mercado de trabalho é de 61%  em comparação com 71% dos homens (Banco Mundial, 2014) e o desemprego é maior entre as mulheres jovens (Banco Mundial, 2011-2014).

A chave para desbloquear o desemprego está na educação e na geração de recursos humanos qualificados.  As taxas de alfabetização dos adultos são assustadoramente baixas. As estimativas do CIA Factbook colocam à alfabetização dos adultos entre 61% e 64% para os homens, e 57% para as mulheres, enquanto que para o PNUD essa taxa é menor (48.7%). O acesso à educação é particularmente baixo entre as crianças, já que apenas 50% assistem à escola. Estima-se que cerca de 30% das crianças que estão matriculadas no ensino fundamental nem chegam ao terceiro ano, enquanto 60% abandonam a escola antes do sexto ano (UNICEF e Banco Mundial). Mais de 5000 escolas foram danificadas ou destruídas pelo terremoto de 2010. As que permaneceram abertas devem enfrentar a falta de materiais, além de uma infraestrutura limitada.  Em média, os haitianos de 25 anos ou mais receberam apenas 4.9 anos de educação escolar, e apenas 29% assistiu ao ensino médio (PNUD). 

Esta situação é claramente pior entre as mulheres. No Haiti, uma menina média frequenta a escola somente até os 7 anos de idade; as meninas tendem a ser retiradas da escola para ajudar com as tarefas domésticas ou quando as famílias devem enfrentar matrículas muito altas (SaveTheChildren). De acordo com um relatório elaborado pela Comissão Interamericana dos Direitos Humanos (CIDH), as mulheres haitianas enfrentam barreiras adicionais para o pleno gozo de seus direitos básicos devido à crença social dominante segundo a qual elas são inferiores aos homens, e a um padrão histórico de discriminação e violência contra elas com base no seu sexo. "A discriminação contra as mulheres é uma característica estrutural da sociedade e da cultura do Haiti", afirma o relatório. De acordo com o Índice de Desigualdade de Gênero em 2014, o Haiti obteve 0.603 pontos, tornando-se o 138º entre 155 países (PNUD). As desigualdades nas relações de gênero no Haiti contribuem para o status inferior das mulheres e meninas nas esferas públicas e econômicas, levando as mulheres a se concentrarem em empregos mal remunerados e muitas vezes informais. 22.5% das mulheres adultas atingiram um nível de ensino médio ou superior, em comparação com 36.3% dos homens (Banco de Desenvolvimento do Caribe).

Em um contexto de alto desemprego e marcada desigualdade de gênero, as mulheres tornam-se um segmento do mercado com grande potencial no Haiti para a educação on-line. As inovações em tecnologias e serviços educacionais estão em alta e o custo do acesso à Internet está caindo em ritmo acelerado.  Além disso, foram desenvolvidas estratégias para as zonas com problemas de conectividade, de modo que o e-learning pode ser uma possibilidade inclusive para as populações com pouco acesso à Internet.
A volta à educação é particularmente elevada nos empregos que requerem uso intensivo das TIC, e a terceirização de serviços de TI oferece oportunidades concretas de trabalho remoto, oferecendo assim alternativas para a diversificação econômica e a criação de emprego que são particularmente relevantes para os jovens e as mulheres. No caso do Haiti e para o escopo deste projeto, a formação em competências digitais tem sido identificada como uma área de especialização particularmente relevante, uma vez que tem o potencial de criar oportunidades de trabalho para além do Haiti, em mercados como os EUA, Canadá, França e outros países francófonos; e gerar as condições necessárias para o surgimento de novas indústrias de serviços no país. Acompanhando à revolução digital, estão sendo criados milhares de postos de trabalho relacionados com o processamento e análise de dados, que por sua vez significa que as perspectivas de emprego são promissoras para os jovens capacitados nestas técnicas.  A formação na área das TIC pode permitir o acesso a oportunidades em uma ampla gama de tarefas relacionadas com o chamado micro-trabalho (microwork), como a indexação, categorização de produtos para o comércio eletrônico, rotulagem de imagens, serviços de transcrição, moderação de conteúdos on-line, transcrição de vídeos digitais, call centers virtuais e muitos outros.

Para permitir que no Haiti seja desenvolvido um mercado on-line para serviços digitais e serviços relacionados com os dados, devem ser considerados dois aspectos chave: a infraestrutura da Internet e os serviços de rede.  No âmbito do projeto proposto, as ações que apontam à formação e a empregabilidade da mulher nos mercados digitais devem ir acompanhadas de esforços no longo prazo para melhorar o acesso à Internet e a infraestrutura.

2. Ações propostas

O projeto procura promover no Haiti o trabalho à distância e o desenvolvimento de um mercado de serviços relacionados com os dados através da geração de capacidades, com especial ênfase nas mulheres:

Para isso, o projeto vai trabalhar em três áreas:

(a) Promover o crescimento de um mercado de trabalho relacionado com os dados no Haiti: Ensinar mulheres jovens competências digitais e facilitar a obtenção de trabalho à distância nos mercados estrangeiros de serviços digitais e relacionados com os dados. Os beneficiários incluem mulheres jovens de 18 a 25 anos, com conhecimentos técnicos básicos, para ser treinadas em informática e processamento de dados. Este grupo receberá formação de nível básico a médio e ajuda para conseguir trabalhos à distância em mercados estrangeiros através do estabelecimento de uma empresa local de outsourcing que reúna pessoas formadas e uma estratégia ativa de divulgação entre a diáspora haitiana para identificar, no estrangeiro, oportunidades de trabalho à distância.

(b) Fortalecer a infraestrutura da Internet e a conectividade no Haiti: Criação de capacidades entre profissionais avançados das TIC para estimular o crescimento e a melhoria dos serviços da Internet no Haiti. Os beneficiários incluirão profissionais das TIC envolvidos no desenvolvimento e exploração de redes de telecomunicações para as agências governamentais, bancos, empresas públicas e privadas e ONG, bem como profissionais de escolas técnicas e universidades; professores e estudantes técnicos avançados. Este grupo receberá formação de nível avançado em uma série de questões relacionadas com as TIC, entre elas gestão de redes, redes de dados sem fio, segurança do computador e implementação do IPv6. Durante todo o processo de seleção, as participantes femininas terão prioridade, para poder assim garantir a nivelação das competências entre mulheres e homens nas áreas avançadas do conhecimento. Além dessas ações de formação, também será criado um cluster local de empresas de TIC para promover o espírito empreendedor e incentivar as sinergias entre os profissionais locais.

c) Promover uma cultura direcionada aos dados no Haiti:  Criação de consciência sobre a importância dos dados, não apenas como um meio de acesso a oportunidades de emprego, mas também como uma ferramenta para uma melhor tomada de decisões, transparência e prestação de contas no Haiti. Esta linha de ação está vinculada diretamente com o trabalho do IDRC na região com ILDA, a Iniciativa da América Latina pelos Dados Abertos, que trabalhou para fortalecer a prestação de contas e a transparência das instituições da América Latina e o Caribe através de dados. Um dos dois hubs de pesquisa estabelecidos no marco de ILDA, o Caribbean Open Institute, liderará o componente 2 deste projeto tal como explicado a seguir, e buscará ativamente gerar maior demanda entre os cidadãos haitianos pelo e o acesso a dados em múltiplos âmbitos da vida política e social do Haiti.

Entende-se que esses três pilares são complementares. No médio prazo, o projeto irá formar um grupo de jovens profissionais com habilidades digitais que lhes permitirão obter empregos a distância no mercados estrangeiros. No longo prazo, e através de capacitações de nível avançado, o projeto ajudará a reforçar os recursos humanos locais necessários e irá encorajar às iniciativas locais para promover o desenvolvimento da Internet no Haiti, entendendo que um mercado mais desenvolvido de serviços digitais requererá redes da Internet mais amadurecidas. Além disso, em geral, o projeto irá contribuir para uma maior presença feminina na área das TIC, que hoje é fortemente dominada por profissionais masculinos, e começar a promover uma cultura de dados no Haiti.

Complementar ao componente de capacitação, o projeto vai trabalhar ativamente na geração de oportunidades de trabalho para participantes mulheres participantes capacitadas em processamento de dados e competências digitais. O objetivo será conseguir cargos cada vez mais seguros para os graduados do projeto e fornecer a infraestrutura necessária para que possam executar essas tarefas à distância desde o Haiti.

Para atingir esse objetivo, o projeto irá adotar uma dupla abordagem. De um lado, o projeto vai trabalhar na criação de uma PYME que reúna os participantes do projeto interessados na terceirização de serviços digitais relacionados com os dados no exterior. Este empreendimento oferecerá aos graduados a conectividade e a infraestrutura física necessária para realizar esses serviços. O empreendimento também oferecerá uma solução única para empresas estrangeiras que queiram contratar serviços dos participantes do programa no Haiti. Do outro lado, o projeto seguirá uma estratégia ativa de procura de empregadores que envolva a diáspora do Haiti na América do Norte. Em 2012, a população de imigrantes haitianos nos Estados Unidos  era de 606 000, enquanto que no Canadá estima-se que é de 74 000 (MigrationPolicyInstitute). Há um importante grupo de profissionais qualificados de origem haitiana morando principalmente nos Estados Unidos e Canadá como comunidades em diáspora.  Algumas estimativas apontam que até 70% dos recursos humanos qualificados do Haiti fazem parte da diáspora (Wah 2013). As pessoas de origem haitiano que moram no estrangeiro fazem parte de uma comunidade ativa e  têm o potencial para desempenhar um papel-chave na promoção do desenvolvimento local. O projeto irá envolver à diáspora haitiana principalmente na América do Norte, convidando-os a oferecer tutorias e oportunidades de trabalho à distância a mulheres capacitadas e graduadas.  Já estão sendo realizadas algumas atividades com a diáspora haitiana lideradas pela Câmara de Comércio Haiti-Estados Unidos (AmCham) e a Câmara de Comércio Haiti-Canadá para servir de ponte entre a mão de obra local e as oportunidades de mercado no exterior.  O projeto irá aprofundar a pesquisa nessa área e procurará aproveitar as iniciativas existentes através de uma política ativa de divulgação, conforme mostrado posteriormente na seção de atividades.

3.  Objetivos

Objetivo geral: Promover condições favoráveis para o estabelecimento e crescimento de um mercado de serviços digitais no Haiti através da geração de capacidades entre as mulheres jovens e os profissionais das TIC do Haiti.

Objetivos específicos:

a) Permitir uma melhor compreensão das condições necessárias para melhorar as oportunidades de trabalho remoto para as mulheres jovens no país. (LACNIC)
b) Atender à demanda de mercados digitais estrangeiros (e locais) através da geração de capacidades entre as mulheres jovens do Haiti em serviços relacionados com os dados e facilitar o seu acesso às oportunidades de emprego (LACNIC / ESIH).
c) Ajudar a melhorar a conectividade e infraestrutura da Internet no Haiti por meio da geração de capacidades e conhecimentos técnicos entre profissionais avançados das TIC e a promoção do empreendedorismo (LACNIC / ESIH).
d) Desenvolver conteúdo on-line, desenvolver capacidades entre os docentes e gerar novos conhecimentos sobre a eficácia dos conteúdos e as plataformas de aprendizagem usadas para os objetivos a e b (COI).
e) Garantir oportunidades de emprego para os estudantes e incentivar a participação do setor privado (i) criando um empreendimento que reúna graduados que buscam terceirizar suas habilidades para os mercados de serviços no exterior e (ii) lançando uma coalizão com os profissionais da diáspora haitiana e os líderes empresariais para apoiar a iniciativa através de formação / tutoria e trabalho à distancia para os graduados (LACNIC / ESIH).  (LACNIC / ESIH).
f) Ampliar o número de beneficiários, usando este projeto como piloto para uma próxima iniciativa regional que poderia apoiar o escalamento da iniciativa.

Pesquisa sobre trabalho digital e criação de capacidades em YIC no Haiti

I.    Justificação:

"Globalização: Trabalho Digital e Gênero no Haiti" é uma iniciativa piloto que busca criar condições favoráveis para que jovens haitianas consigam trabalho na economia digital abordando igualmente as deficiências que apresenta o Haiti em termos de competências e infraestrutura. O projeto está direcionado principalmente às mulheres.

O projeto vai trabalhar em três áreas:

(a) Promover o crescimento de um mercado de trabalho relacionado com os dados no Haiti:  Ensinar mulheres jovens competências digitais e facilitar a obtenção de trabalho à distância nos mercados estrangeiros de serviços digitais e relacionados com os dados. Os beneficiários incluem mulheres jovens de 18 a 25 anos, com conhecimentos técnicos básicos, para ser treinadas em informática e processamento de dados. Este grupo receberá formação de nível básico a médio e ajuda para conseguir trabalhos à distância em mercados estrangeiros através do estabelecimento de uma empresa local de outsourcing que reúna pessoas formadas e uma estratégia ativa de divulgação entre a diáspora haitiana para identificar, no exterior, oportunidades de trabalho à distância.

(b) Fortalecer a infraestrutura da Internet e a conectividade no Haiti: Criação de capacidades entre profissionais avançados das TIC para estimular o crescimento e a melhoria dos serviços da Internet no Haiti. Os beneficiários serão os profissionais das TIC que participam no desenvolvimento e na exploração de redes de telecomunicações no país todo, bem como profissionais das universidades e escolas técnicas. Este grupo receberá formação de nível avançado em uma série de questões relacionadas com as TIC, entre elas gestão de redes, redes de dados sem fio, segurança do computador e implementação do IPv6.  Além dessas ações de formação, também será criado um cluster local de TIC para promover o espírito empreendedor e incentivar as sinergias e o crescimento de novas iniciativas entre os profissionais locais. 
c) Promover uma cultura direcionada aos dados no Haiti:  Criação de consciência sobre a importância dos dados, não apenas como um meio de acesso a oportunidades de emprego, mas também como uma ferramenta para uma melhor tomada de decisões, transparência e prestação de contas no Haiti, em linha com a Iniciativa da América Latina pelos Dados Abertos (ILDA).

No médio prazo, o projeto irá formar um grupo de jovens profissionais com habilidades digitais que lhes permitirão obter empregos a distância nos mercados estrangeiros. Ao longo prazo e através de capacitações de nível avançado, o projeto ajudará a reforçar os recursos humanos locais necessários e irá encorajar às iniciativas locais para promover o desenvolvimento da Internet no Haiti, entendendo que um mercado mais desenvolvido de serviços digitais requererá redes da Internet mais amadurecidas. Além disso, em geral, o projeto irá contribuir para uma maior presença feminina na área das TIC, que hoje é fortemente dominada por profissionais masculinos,  e começar a promover uma cultura de dados no Haiti. Por mais informações sobre o projeto, consulte o Anexo 1.

II.  Objetivo da Contratação

O projeto é financiado pelo Centro Internacional de Pesquisadores para o Desenvolvimento (IDRC). É considerado um programa piloto, que, se for bem-sucedido, será replicado em outros países da região da América Latina e o Caribe que enfrentem os mesmos desafios.

Os componentes de pesquisa irão desempenhar um papel fundamental para a) determinar o conteúdo dos cursos a serem ministrados para os beneficiários do projeto; b) avaliar o progresso e o impacto do projeto, tanto para propor medidas corretivas quanto para avaliar o seu potencial de replicabilidade em geral; e c) identificar as melhores estratégias de ensino para entregar esses conteúdos.

O objetivo da contratação será realizar pesquisas de alta qualidade e produzir os insumos necessários para a implantação e avaliação do projeto, trabalhando principalmente em três áreas:

  1. Pesquisa do lado da demanda. Entender as necessidades do lado da demanda em mercados digitais no Haiti e no exterior para informar o processo de decisão sobre que conteúdos de cursos irão ser oferecidos e onde os graduados do programa podem oferecer os seus serviços.  O projeto está focado nos serviços relacionados com os dados e na criação de capacidades avançadas em TIC para o desenvolvimento da Internet.
  2. Avaliação do projeto e pesquisa sobre sua replicabilidade. Monitoramento e avaliação dos avanços do projeto, avaliação da viabilidade de sua replicabilidade e proposta de estratégias de escalamento.
  3. Pesquisa educacional e sobre conteúdos de cursos. Identificar as estratégias e as questões mais adequadas para desenvolver conteúdos de cursos on-line, apropriados para os beneficiários alvo, que sejam inovadores e eficientes.

 

III.Responsabilidades e duração da contratação

Poderão candidatar-se instituições de pesquisa ou grupos de pesquisadores.  As equipes de trabalho irão informar ao Coordenador do Projeto e a Direção de LACNIC.

O Comitê de Seleção poderá encarregar todas as responsabilidades a um único candidato ou criar um grupo de trabalho ad hoc com vários candidatos, com base nas qualificações e experiência de cada um-. 

O projeto começou em janeiro de 2017 e vai finalizar em junho de 2019. As horas de trabalho da equipe de pesquisa irão variar com a implementação do projeto segundo  as responsabilidades listadas abaixo. Espera-se que a pesquisa educacional, do lado da demanda seja concluída em agosto de 2017 e, em seguida, concentrar-se na divulgação da pesquisa, enquanto que a avaliação será uma atividade contínua durante todo o ciclo do projeto.

Pesquisa sobre a demanda de serviços digitais e profissionais das TIC 

  1. Identificar necessidades do mercado de serviços digitais, em particular de serviços relacionados com os dados, tanto no Haiti quanto no exterior, principalmente os Estados Unidos, Canadá e França. Identificar necessidades do mercado de habilidades avançadas nas TIC para o desenvolvimento da Internet no Haiti.
  2. Entrevistar empresas locais e internacionais, funcionários do estado, ONG e outros atores relevantes para obter informações de primeira mão.  Se possível, produzir indicadores qualitativos para apoiar as necessidades do mercado.
  3. Identificar potenciais barreiras à terceirização de serviços para o Haiti, em particular em matéria de regulamentação aspectos vinculados aos serviços de processamento de dados.
  4. Recomendar os sócios do projeto em relação as ofertas de cursos mais adequados e oportunidades para empregar os graduados.
  5. Produzir um relatório com os resultados e realizar apresentações dos resultados.

 

Pesquisa sobre monitoramento e avaliação

  1. Desenhar ferramentas de monitoramento e avaliação para o projeto
  2. Realizar avaliações a cada seis meses visando:
    1. Avaliar o progresso na implantação das atividades
    2. Avaliar o progresso na conquista dos objetivos propostos
    3. Identificar as áreas que precisam ajustes e oferecer recomendações
  3. Realizar avaliações depois de cada uma das três rodadas de treinamento do piloto para avaliar a adequação dos conteúdos dos cursos, os materiais e as estratégias educacionais. Produzir feedback para ser incorporada por diferentes equipes de projeto.
  4. No final do projeto, produzir uma avaliação geral do impacto do projeto e seu potencial de escalamento, incluindo as estratégias de escalamento recomendadas.
  5. Apresentar os resultados das atividades de monitoramento e avaliação para os sócios do projeto durante todo o ciclo do projeto e ajudar as equipes a implementarem as recomendações.

 

Pesquisa sobre estratégias educacionais para e-learning e conteúdos adequados

  1. Entrevistar os sócios do projeto e o grupo de beneficiários potenciais. Estudar em detalhe a pesquisa de mercado sobre demanda e oferta.
  2. Propor, em estreita consulta com ESIH, os conteúdos mais apropriados e estratégias de ensino apropriadas, inclusive para a formação de formadores.
  3. Realizar uma avaliação inicial do impacto das estratégias de ensino.
  4. Produzir relatórios com conclusões e recomendações, e apresentar os resultados conforme necessário.

 

Atividades de coordenação

  1. Participar de atividades de coordenação com outros sócios do projeto conforme necessário, incluindo entre outras, abertura e encerramento de reuniões, chamadas com sócios do projeto e eventos promocionais.
  2. Coordenar, conjuntamente com o Coordenador do Projeto, a distribuição dos resultados finais da pesquisa para todos os sócios do projeto para seu estudo e análise. Ajudar as equipes do projeto com as alterações posteriores ao projeto com base nos resultados da pesquisa, se corresponder.
  3. Explorar com o Coordenador do Projeto e os sócios possíveis canais para publicar e divulgar os resultados da pesquisa.
  4. Apresentar breves relatórios resumindo o progresso das atividades e informando qualquer problema pendente e possíveis oportunidades. Manter ligações mensais com o Coordenador do Projeto e o pessoal de gestão de LACNIC.

 

IV.Resultados
Pesquisa sobre a demanda de serviços digitais e profissionais das TIC 

  1. Conjuntos de dados e resumes ou transcrições das entrevistas
  2. Relatório final sobre as conclusões, incluindo recomendações.
  3. Apresentação dos documentos com os resultados

Pesquisa sobre monitoramento e avaliação

  1. Cinco relatórios de progresso semanais
  2. Três avaliações de rodadas de capacitação
  3. Um documento final de avaliação geral do projeto
  4. Um relatório sobre a estratégia para o escalamento.
  5. Apresentação de documentos com os resultados

Pesquisa sobre estratégias educacionais para e-learning e conteúdos adequados

  1. Conjuntos de dados ou resumes/transcrições das entrevistas da fase de pesquisa
  2. Relatório com a análise da pesquisa e recomendações propostas.
  3. Apresentação de documentos com os resultados

Atividades de coordenação 

  1. Informes de progresso mensais e reuniões on-line com o Coordenador do Projeto e o pessoal da diretoria de LACNIC.

V. Supervisão da consultoria

As equipes de trabalho irão informar ao Coordenador do Projeto e a Direção de LACNIC.

VI. Qualificações desejadas

  1. Poderão candidatar-se empresas ou grupos de pesquisadores.
  2. Experiência em pesquisa de mercado nos países em desenvolvimento.
  3. Experiência relacionada com projetos de desenvolvimento e exposição ao mundo do desenvolvimento internacional. 
  4. Experiência na realização de pesquisas de campo na América Latina e o Caribe.
  5. Capacidade de se relacionar com as partes interessadas francófonas.
  6. Experiência demonstrada e experiência em monitoramento e avaliação.

VII. Processo de seleção e compensação

O orçamento para esta contratação é de U$S 52.000. 

Para se candidatar, as instituições e as equipes de pesquisa interessadas deverão apresentar uma carta de intenção explicando como pretendem assumir as responsabilidades definidas nestes termos de referência e um breve orçamento que descreva a atribuição proposta dos fundos de pesquisa. Os materiais para o pedido devem ser enviados a Carolina Caeiro, Coordenadora de Projetos de Pesquisa de LACNIC (carolina@lacnic.net). 

O Comitê de Seleção irá entrevistar as organizações e equipes candidatas. As responsabilidades poderão ser encarregadas a um único candidato ou poderá ser criado um grupo de trabalho ad hoc com vários candidatos, com base nas qualificações e experiências de cada um-.

VIII. Localização

A equipe de consultores poderá estar baseada em múltiplas localizações, incluindo, mas sem limitar-se, ao Haiti, Caribe, Estados Unidos ou Canadá. Todos os membros da equipe deverão ter disponibilidade para viajar ao Haiti, Uruguai, onde LACNIC e IDRC LACRO têm sua sede, e à sede do IDRC em Ottawa, Canadá, conforme necessário.

 


 

ANEXO 1. Informações adicionais sobre o projeto

1. Justificação

Com quase 60% de seus 10.5 milhões de cidadãos vivendo com menos de 2 dólares por dia, de um total de 188 países, o Haiti ocupa o número 163 no Índice de Desenvolvimento Humano (PNUD).   Considerado o país menos desenvolvido da América Latina e o Caribe, o Haiti hoje ainda está se recuperando do terremoto que sofreu em 2010 e que afetou seriamente a sua infraestrutura, custou milhares de vidas e teve as suas atividades econômicas altamente danificadas.

O emprego é um fator chave para o desenvolvimento no Haiti.  Depois do terremoto, o nível de desemprego aumentou até 41% em 2010, em comparação com 35% prevista antes desse acontecimento (Banco de Desenvolvimento do Caribe). O Plano de Ação para a Recuperação Nacional e o Desenvolvimento do Haiti (Plan d'actionpour le relèvement et le développementd'Haiti, o PARDH) criado depois do terremoto reconheceu a necessidade de criar trabalho a grande escala como uma prioridade para a reconstrução econômica e social.   Em maio de 2012, o Governo do Haiti apresentou seu Plano Estratégico para o Desenvolvimento do Haiti (Plan Stratégique de Développmentd'Haïti o PSDH), que buscava prover um enquadramento para a perspectiva de longo prazo em que o PARDH se baseava. O documento continuava focado na necessidade de criação de empregos, procurando melhorar a competitividade da economia do Haiti e fomentar o crescimento do setor privado.

Segundo estimativas publicadas em 2014 pelo Banco Mundial, 4.59 milhões de haitianos integram a força de trabalho.  Além da taxa de desemprego de 41%, o subemprego é generalizado, há uma escassez acentuada de mão de obra qualificada (CIA Factbook) e mais de dois terços da população não tem emprego formal. Em geral, as condições sociais e econômicas são terríveis tanto para homens quanto para mulheres, mas as mulheres estão particularmente em desvantagem, porque elas sofrem de maiores níveis de desemprego, níveis de escolaridade mais baixos, piores condições de vida em geral e são mais vulneráveis à exploração ( Banco de Desenvolvimento do Caribe). A participação feminina no mercado de trabalho é de 61% em comparação com 71% dos homens (Banco Mundial, 2014) e o desemprego é maior entre as mulheres jovens (Banco Mundial, 2011-2014).

A chave para desbloquear o desemprego está na educação e na geração de recursos humanos qualificados.   As taxas de alfabetização dos adultos são assustadoramente baixas. As estimativas do CIA Factbook colocam à alfabetização dos adultos entre 61% e 64% para os homens, e 57% para as mulheres, enquanto que o PNUD dá conta de uma taxa de alfabetização de adultos inclusive menor (48.7%). O acesso a educação é particularmente baixo entre as crianças, já que apenas 50% assistem à escola. Estima-se que cerca de 30% das crianças que estão matriculadas no ensino fundamental nem chegam ao terceiro ano, enquanto 60% abandonam a escola antes do sexto ano (UNICEF e Banco Mundial). Mais de 5000 escolas foram danificadas ou destruídas pelo terramoto de 2010. As que permaneceram abertas devem enfrentar a falta de materiais, além de uma infraestrutura limitada. Em média, os haitianos de 25 anos ou mais receberam apenas 4.9 anos de educação escolar, e apenas 29% assistiu ao ensino médio (PNUD).

Esta situação é claramente pior entre as mulheres. No Haiti, a média das meninas assiste à escola somente até os 7 anos de idade; as meninas tendem a ser retiradas da escola para ajudar com as tarefas domésticas ou quando as famílias devem enfrentar matrículas muito altas (Save The Children). De acordo com um relatório elaborado pela Comissão Interamericana dos Direitos Humanos (CIDH), as mulheres haitianas enfrentam barreiras adicionais para o pleno gozo de seus direitos básicos devido à crença social dominante segundo a qual elas são inferiores aos homens, e a um padrão histórico de discriminação e violência contra elas com base no seu sexo. "A discriminação contra as mulheres é uma característica estrutural da sociedade e da cultura do Haiti", afirma o relatório. De acordo com o Índice de Desigualdade de Gênero em 2014, o Haiti obteve 0.603 pontos, tornando-se o 138º entre 155 países (PNUD). As desigualdades nas relações de gênero no Haiti contribuem para o status inferior das mulheres e meninas nas esferas públicas e econômicas, levando as mulheres a se concentrarem em empregos mal remunerados e muitas vezes informais. 22.5% das mulheres adultas atingiram um nível de ensino médio ou superior, em comparação com 36.3% dos homens (Banco de Desenvolvimento do Caribe).

Em um contexto de alto desemprego e marcada desigualdade de gênero, as mulheres tornam-se um segmento do mercado com grande potencial no Haiti para a educação on-line. As inovações em tecnologias e serviços educacionais estão em alta e o custo do acesso à Internet está caindo em ritmo acelerado. Além disso, foram desenvolvidas estratégias para as zonas com problemas de conectividade, de modo que o e-learning pode ser uma possibilidade inclusive para as populações com pouco acesso à Internet.
A volta à educação é particularmente elevada nos empregos que requerem uso intensivo das TIC, e a terceirização de serviços de TI oferece oportunidades concretas de teletrabalho, oferecendo assim alternativas para a diversificação econômica e a criação de emprego que são particularmente relevantes para os jovens e as mulheres. No caso do Haiti e para o escopo deste projeto, a formação em competências digitais tem sido identificada como uma área de especialização particularmente relevante, uma vez que tem o potencial de criar oportunidades de trabalho para além do Haiti, em mercados como os EUA, Canadá, França e outros países francófonos; e gerar as condições necessárias para o surgimento de novas indústrias de serviços no país. Acompanhando à revolução digital, estão sendo criados milhares de postos de trabalho relacionados com o processamento e análise de dados, que por sua vez significa que as perspectivas de emprego são promissoras para os jovens capacitados nestas técnicas.   A formação na área das TIC pode permitir o acesso a oportunidades em uma ampla gama de tarefas relacionadas com o chamado micro-trabalho (microwork), como a indexação, categorização de produtos para o comércio eletrônico, rotulagem de imagens, serviços de transcrição, moderação de conteúdos on-line, transcrição de vídeos digitais, call centers virtuais e muitos outros.

Para permitir que no Haiti seja desenvolvido um mercado on-line de serviços digitais e serviços relacionados com os dados, devem ser considerados dois aspectos chave: a infraestrutura da Internet e os serviços de rede.  No âmbito do projeto proposto, as ações que apontam à formação e a empregabilidade da mulher nos mercados digitais devem ir acompanhadas de esforços a longo prazo para melhorar o acesso à Internet e a infraestrutura.

2. Ações propostas

O projeto procura promover no Haiti o trabalho à distância e o desenvolvimento de um mercado de serviços relacionados com os dados através da geração de capacidades, com especial ênfase nas mulheres:

Para isso, o projeto vai trabalhar em três áreas:

(a) Promover o crescimento de um mercado de trabalho relacionado com os dados no Haiti: Ensinar mulheres jovens competências digitais e facilitar a obtenção de trabalho à distância nos mercados estrangeiros de serviços digitais e relacionados com os dados. Os beneficiários incluem mulheres jovens de 18 a 25 anos, com conhecimentos técnicos básicos, para ser treinadas em informática e processamento de dados. Este grupo receberá formação de nível básico a médio e ajuda para conseguir trabalhos à distância em mercados estrangeiros através do estabelecimento de uma empresa local de outsourcing que reúna pessoas formadas e uma estratégia ativa de divulgação entre a diáspora haitiana para identificar no estrangeiro oportunidades de trabalho à distância.

(b) Fortalecer a infraestrutura da Internet e a conectividade no Haiti: Criação de capacidades entre profissionais avançados das TIC para estimular o crescimento e a melhoria dos serviços da Internet no Haiti.  Os beneficiários incluirão profissionais das TIC envolvidos no desenvolvimento e exploração de redes de telecomunicações para as agências governamentais, bancos, empresas públicas e privadas e ONG, bem como profissionais de escolas técnicas e universidades; professores e estudantes técnicos avançados. Este grupo receberá formação de nível avançado em uma série de questões relacionadas com as TIC, entre elas gestão de redes, redes de dados sem fio, segurança do computador e implementação do IPv6. Durante todo o processo de seleção, as participantes femininas terão prioridade, para poder assim garantir a nivelação das competências entre mulheres e homens nas áreas avançadas do conhecimento. Além dessas ações de formação, também será criado um cluster local de TIC para promover o espírito empreendedor e incentivar as sinergias entre os profissionais locais.

c) Promover uma cultura direcionada aos dados no Haiti:  Criação de consciência sobre a importância dos dados, não apenas como um meio de acesso a oportunidades de emprego, mas também como uma ferramenta para uma melhor tomada de decisões, transparência e prestação de contas no Haiti. Esta linha de ação está vinculada diretamente com o trabalho do IDRC na região com ILDA, a Iniciativa da América Latina pelos Dados Abertos, que trabalhou para fortalecer a prestação de contas e a transparência das instituições da América Latina e o Caribe através de dados. Um dos dois hubs de pesquisa estabelecidos no marco de ILDA, o Caribbean Open Institute, liderará o componente 2 deste projeto tal como explicado a seguir, e buscará ativamente gerar maior demanda entre os cidadãos haitianos pelo uso e o acesso a dados em múltiplos âmbitos da vida política e social do Haiti.

Entende-se que esses três pilares são complementares. No médio prazo, o projeto irá formar um grupo de jovens profissionais com habilidades digitais que lhes permitirão obter empregos a distância no mercados estrangeiros. A longo prazo e através de capacitações de nível avançado, o projeto ajudará a reforçar os recursos humanos locais necessários e irá encorajar às iniciativas locais para promover o desenvolvimento da Internet no Haiti, entendendo que um mercado mais desenvolvido de serviços digitais requererá redes da Internet mais amadurecidas. Além disso, em geral, o projeto irá contribuir para uma maior presença feminina na área das TIC, que hoje é fortemente dominada por profissionais masculinos, e começar a promover uma cultura de dados no Haiti.

Complementar ao componente de capacitação, o projeto vai trabalhar ativamente na geração de oportunidades de trabalho para participantes mulheres participantes capacitadas em processamento de dados e competências digitais. O objetivo será conseguir cargos cada vez mais seguros para os graduados do projeto e fornecer a infraestrutura necessária para que possam executar essas tarefas à distância desde o Haiti.

Para atingir esse objetivo, o projeto irá adotar uma dupla abordagem. De um lado, o projeto vai trabalhar na criação de uma PYME que reúna os participantes do projeto interessados na terceirização de serviços digitais relacionados com os dados no exterior. Este empreendimento oferecerá aos graduados a conectividade e a infraestrutura física necessária para prestar esses serviços. O empreendimento também oferecerá uma solução única para empresas estrangeiras que queiram contratar serviços dos participantes do programa no Haiti. Do outro lado, o projeto seguirá uma estratégia ativa de procura de empregadores que envolva a diáspora do Haiti na América do Norte. Em 2012, a população de imigrantes haitianos nos Estados Unidos  era de 606 000, enquanto que no Canadá estima-se que é de 74 000 (MigrationPolicyInstitute). Há um importante grupo de profissionais qualificados de origem haitiano que moram principalmente nos Estados Unidos e no Canadá como comunidades em diáspora. Algumas estimativas apontam que até 70% dos recursos humanos qualificados do Haiti fazem parte da diáspora (Wah 2013). As pessoas de origem haitiano que moram no estrangeiro fazem parte de uma comunidade ativa e  têm o potencial para desempenhar um papel-chave na promoção do desenvolvimento local.  O projeto irá envolver à diáspora haitiana principalmente na América do Norte, convidando-os a oferecer tutorias e oportunidades de trabalho à distância a mulheres capacitadas e graduadas. Já estão sendo realizadas algumas atividades com a diáspora haitiana lideradas pela Câmara de Comércio Haiti-Estados Unidos (AmCham) e a Câmara de Comércio Haiti-Canadá para servir de ponte entre a mão de obra local e as oportunidades de mercado no exterior. O projeto irá aprofundar a pesquisa nessa área e procurará aproveitar as iniciativas existentes através de uma política ativa de divulgação, conforme mostrado posteriormente na seção de atividades.

3.  Objetivos

Objetivo geral: Promover condições favoráveis para o estabelecimento e crescimento de um mercado de serviços digitais no Haiti através da geração de capacidades entre as mulheres jovens e os profissionais das TIC do Haiti.

Objetivos específicos:

a) Permitir uma melhor compreensão das condições necessárias para melhorar as oportunidades de teletrabalho para as mulheres jovens no país.
b) Atender à demanda de mercados digitais estrangeiros (e locais) através da geração de capacidades entre as mulheres jovens do Haiti em serviços relacionados com os dados e facilitar o seu acesso às oportunidades de emprego (LACNIC / ESIH).
c) Ajudar a melhorar a conectividade e infraestrutura da Internet no Haiti por meio da geração de capacidades e conhecimentos técnicos entre profissionais avançados das TIC e a promoção do empreendedorismo (LACNIC / ESIH).
d) Desenvolver conteúdo on-line, desenvolver capacidades entre os docentes e gerar novos conhecimentos sobre a eficácia dos conteúdos e as plataformas de aprendizagem usadas para os objetivos a e b (COI).
e) Garantir oportunidades de emprego para os estudantes e incentivar a participação do setor privado (i) criando um empreendimento que reúna graduados que buscam terceirizar suas habilidades para os mercados de serviços no exterior e (ii) lançando uma coalizão com os profissionais da diáspora haitiana e os líderes empresariais para apoiar a iniciativa através de formação / tutoria e trabalho à distancia para os graduados (LACNIC / ESIH).  (LACNIC / ESIH).
f) Ampliar o número de beneficiários, usando este projeto como piloto para uma próxima iniciativa regional que poderia apoiar o escalamento da iniciativa.

 

Contate-nos

Se quiser enviar o seu curriculo, pode fazê-lo datravés do e-mail rrhh@lacnic.net

Suas experiências pessoais serão analisadas com a confidencialidade e sigilo que seu interesse no Lacnic merece.

Seu currículo ficará em nosso banco de dados para futuras oportunidades.

Muito obrigado.

Recursos Humanos

LACNIC é um empregador que oferece oportunidades iguais de emprego e não discrimina por raça, cor, religião, nacionalidade, ascendência, cidadania, estado civil, deficiência física, sexo, orientação sexual, idade ou qualquer outra característica, e está em conformidade com todas as leis e regulamentos correspondentes.